Cotidiano Chinês

Um pouquinho da nossa vida na China…

Arquivo para a categoria “china”

Os pijamas…

Como comentei no post “Os pijamas e os avós”, algumas pessoas não ligam muito para o fato de estarem vestindo pijama fora das suas residências. Como falei, colocam um sapato, pegam uma bolsa e estão prontos pra ir comprar a verdura do dia no mercado! Sim, pois os chineses vão ao mercado todo santo dia, só consomem alimentos fresquinhos e fazem compras sempre em pequenas quantidades. Dífícil ver alguém fazendo “a compra do mês”.

Bom, voltando às vestimentas desse povo engraçado que convive comigo por aqui, esses dias estávamos em uma loja de esportes, de uma marca chinesa muito boa por sinal (só o nome que não ajuda muito: “ANTA”, mas ok), eis que a seguinte figura entra na loja passeando em meio aos produtos:

IMG_2654    IMG_2655

IMG_2656

Muito tranquila e muito à vontade fazendo as suas compras de sábado em Dongmen*! Ainda bem que ela se enrolou bastante e conseguimos tirar algumas fotos.

Essas próximas fotos foram tiradas aqui na frente do nosso condomínio, no final da tarde! Ou seja, a desculpa de “acabei de acordar e fui brincar” não cola muito:

IMG_2747     IMG_2748

E tem essa aí também, com a calça do pijama, bem tranquila indo comprar Yakult na menina simpática (final da tarde de sábado):

IMG_2749

E tem também essa senhorinha que foi a praia de pijama comprido. Calor pra quê né?

IMG_0390

Olha, não vou dizer que é raro ver alguém de pijama, pois eu vejo todo santo dia. Como falei, aqui onde moro, só dá pijamão! É engraçado, vou fazer o que. Como nós sempre conversamos aqui em casa, a China é cheia de contradições. O mesmo povo que tira os sapatos pra não sujar a própria casa, sai com a mesma roupa que usa em sua cama, para sair na rua… Vai entender né?

A cada dia que passo eu acho que entendo um pouquinho mais da China. Mas às vezes, parece o contrário! Quanto mais a gente convive, menos entende! hehe

Mas são essas pequenas coisas que fazem o nosso dia-a-dia tão gostoso e tão diferente!

Os pijamas sempre fazem parte do nosso cotidiano chinês! 🙂

P.S.: Dongmen é um bairro aqui de Shenzhen, onde é possível comprar de tudo! Mas tenha paciência para andar, pois o lugar é enorme! Não escolha também um dia muito abafado para fazer suas compras.

Anúncios

Coroa de flor pode, número 4 não!

Passando na frente de algumas lojas, não pude deixar de reparar na decoração de “boas-vindas” de alguns lugares:

IMG_1949

IMG_1931

O que te lembra? Uma coroa de flores daquelas usadas para enterro não?

Pois é, aqui o enfeite é bem parecido com o nossa florzinha de enterro.  Sempre que há inauguração de alguma loja ou qualquer outro lugar, na frente, só dá coroa de flor!

Bom, se estas flores nos lembram a morte, imagine a cara do chinês quando eu disse que no ano novo geralmente as pessoas vestem branco… Para eles, o branco é a cor do luto, e nos enterros, as flores brancas são predominantes. O branco para eles é como passar a virada do ano de preto para nós.

Nos casamentos tradicionais chineses, as noivas vestem vermelho. Mas isso não é uma regra, já que hoje em dia os casamentos mais modernos já aceitam o vestido branco.

Mas pior do que vestir branco, é o número 4. 14 então? Morte na certa! Esse número é tão temido, que na maioria dos prédios, os andares com número 4, são inexistentes… Sabe como? Não? Veja os painéis dos elevadores abaixo:

IMG_0096

IMG_2758

O número 13 também não é muito bem-vindo. Muitas vezes não encontro nos elevadores também.

O número da sorte é o 8! Sempre que for dar algum hong bao 红包* para um chinês  procure quantias que terminem com 8! Jamais com o número 4! Não é simplesmente má sorte, é coisa ruim mesmo. Tome cuidado pois eles levam isso a sério! Muitos não aceitam ficam no quarto andar de um hotel ou comprar um apartamento no quarto, décimo quarto, vigésimo quarto andar…

Geralmente nos hotéis, quem fica nesses andares são os laowais 老外(estrangeiros), pois os chineses, não fazem questão nenhuma.

Quando for comprar um número de telefone, o preço também muda devido a quantidade desses números. Quanto mais 8, mais caro. Quanto mais números 4, mais barato. Placa de carro não é diferente. Tem gente que fica horas escolhendo a combinação perfeita – e claro, não pode ter número 4.

E porque essa superstição? Lembram do post que falei que a cor laranja tinha a mesma pronuncia da palavra “sorte”? Pois então, aqui não é diferente. A pronúncia do número 4 四 (sì) lembra muito a pronúncia da palavra “morte” 死 (si), por isso, o número é tão temido.

O mandarim tem muitas pronúncias parecidas, e a entonação das palavras é muito importante para se fazer entender por aqui. Para mim, é isso que torna o mandarim tão difícil de aprender – mas não impossível. Com o tempo vamos pegando o jeitinho de cada palavra e entendendo um pouco mais desse povo incrível, tão diferente e cheio de significados!

O número 4 e as coroas de flor também fazem parte do nosso cotidiano chinês!

P.S.1:Hong bao 红包 é uma quantia em dinheiro oferecida aos chineses em aniversários ou casamentos, em envelopes vermelhos, a cor da prosperidade.

P.S.2: Não podemos dizer que isso se aplica em todos os lugares da China, pois como já disse antes, esse país é um aglomerado de muitas culturas. Assim como cada estado do Brasil tem as suas gírias e crenças… Quem come cachorro-quente com vina aí? 🙂

Bem Bom Comidas!

Todo brasileiro que vem pra China, por mais aberto que seja a novas experiências com comida – e olhe que na China são muitas – acaba sentindo falta do arroz com feijão de todos os dias. É inevitável!

Então, pra quem quer dar um tempinho de vez em quando na pimenta, coentro e gengibre (ingredientes muito presentes no dia-a-dia chinês) as queridas Patricia e Lila começaram um emprendimento muito legal chamado: BEM BOM COMIDAS!

Em um grupo de brasileiros que temos aqui em Shenzhen, quando nos reunimos nos fins de semana ou em alguma comemoração, a mão abençoada das cozinheiras sempre enche a barriga de todo mundo! E nós adoramos!

O Bem Bom Comidas, vem com a idéia de refeições prontas congeladas, sempre feitas com alimentos frescos, e o consumo pode ser feito em até 15 dias! Já fiz o meu pedido e semana que vem meus almoços diários estão garantidos em grande estilo!! 😀

Segue o Blog do BEM BOM COMIDAS – lá da pra ver o cardápio e entrar em contato com as meninas: http://bembomcomidas.blog.com/

Agora a comidinha brasileira do Bem Bom Comidas também faz parte do nosso cotidiano chinês!!! ÊÊÊ!! 😀

Tire os sapatos!

Quando estava vindo para a China, eu sabia que iria me deparar com uma cultura extremamente diferente da minha, mas sinceramente, não imaginava que ia ser tanto!

A comida, a comunicação, os costumes, o modo de pensar… Algumas coisas, não consegui me adaptar, apesar de ver todos os dias. Por exemplo: os chineses fumam muito, em todos os lugares, inclusive restaurantes e dentro de elevador – não sei se eu é que estava acostumada com a lei anti-fumo no Brasil, mas realmente não há nada melhor do que respirar um ar limpinho. O buraco, é outra coisa que já mencionei há alguns posts atrás, e que eu poderia viver aqui 30 anos e acho que nunca vou gostar… kkkk Além disso, eles cospem muito no chão! Isso, na visão deles, além de não ser nojento é até higiênico – tirando as impurezas do seu organismo… Eca! kkk Mas em compensação há outras coisas que recebi de braços abertos e uma delas é tirar os sapatos ao entrar na casa de alguém (e na nossa casa).

É incrível que qualquer pessoa que venha na sua casa, antes de pisar porta adentro, já está tirando os sapatos. Isso porque na maioria das casas, as pessoas deixam todos os sapatos realmente FORA da casa – no corredor mesmo (como na foto abaixo).

IMG_2390

E nós aqui em casa, apesar de mantermos os sapatos pra dentro, aderimos muito bem a isso. Pare pra pensar, nós pisamos em tanta sujeira, o dia todo, que nada mais higiênico pra manter nossa casa limpinha do que tirar os sapatos e colocar um chinelinho no lugar. Além disso, muito mais confortável. Nós temos inclusive vários chinelinhos que pegamos de hotéis e mantemos aqui para as visitas.

No começo, pode parecer estranho e desconfortável ter que ficar exibindo os pés na casa de qualquer um. Mas depois que nos acostumamos, é automático! Caso contrário, se esquecemos de tirar, nos sentimos estranhos e até mal-educados.

Tirar os sapatos diariamente, também faz parte do nosso cotidiano chinês! 🙂

P.S.: Todas as informações desse blog não podem ser generalizadas. A cultura varia muito de um povo para outro, e considerando que a China é um aglomerado de pequenos países, vocês podem imaginar a diversidade de costumes que estão concentrados na gigante China!

A Praia

Como poucos sabem, Shenzhen é uma cidade litorânea, ao sul da China, colada com Hong Kong. Porém, quem vem pra cá, não imagina que temos praias! A cidade é enorme e muito moderna, nem um pouco cara de litoral – mas tem!

Bom, depois de 8 meses por aqui, decidimos dar um pulo na areia para ver como era a praia.

Apesar das catracas para entrar (controlando o número de pessoas para não lotar), tudo normal! Areia, mar, côco verde, colarzinho, baldinho de areia e esteira pra vender… Mas uma grande diferença são os chineses (obviamente)! E QUE diferença!

IMG_2474

IMG_2472   IMG_2471

IMG_2470

Não era um dia ensolarado, porém também não estava frio. Um mormaço gostoso… Mas olha, se encontramos 3 chineses de sunga foi muito. O pior é que o resto (e esse resto era bastante gente) não estava com roupas “próprias” para banho, e sim de terno, sapato, salto alto, meia fina, casaco, cacharrel, camiseta e calça comprida… Como se estivessem indo ao shopping em plena meia estação sabe?

IMG_2476 

IMG_2501

IMG_2502

Que o chinês não gosta de sol isso nós já entendemos. Quando sai um solzinho em Shenzhen, a sombrinhas se abrem. Todo chinês anda com uma sombrinha na mão! Ah, mas daí vocês podem dizer que em Curitiba todo mundo também tem né… Mas é porque Curitiba CHOVE demais. Aqui, faz SOL demais – e o chinês não gosta do sol. Usa guarda-chuva, blusa de manga comprida, calça, viseira e tudo o mais que ajudar a evitar “pegar uma corzinha”- coisa que tanto gostamos! O padrão de bonito (e status) é a pele branquinha.

Mas ver aquele monte de gente vestida com roupas normais, na areia da praia, ou brincando perto do mar, foi realmente algo bem diferente.

Continuando nossa aventura pela praia, como bons brasileiros, estávamos à procura de uma cervejinha gelada para podermos sentar e relaxar um pouco. Nas mesmas barraquinhas onde vendia sorvete e baldinho de areia, tinham algumas geladeiras com as bebidas dentro.

Há uns dois posts atrás, falei sobre a questão das bebidas geladas por aqui né? Pois é, vivemos novamente essa situação sábado passado: As barraquinhas, com umas 3 ou 4 geladeiras, todas desligadas! Resultado: a cerveja que queríamos comprar ali na beira da praia, só tinha “quentinha”. Até tentamos colocar algumas latinhas no meio dos sorvetes pra ver se resolvia o problema, mas até gelar no ponto que a gente gosta, iria anoitecer!

IMG_2469

Para saciar nossa sede, fomos a um hotel um pouco antes da praia para comprar cerveja gelada, e andamos pela praia para conhecer o local.

Nesse tempo que estamos por aqui, aprendi que tudo o que vivemos até hoje, pode ser vivido de maneira diferente. Para nós, muitas vezes é difícil entendermos a cabeça do oriental, mas o caminho contrário – eles entenderem os estrangeiros – é igualmente complicado!

Não podemos esquecer nunca que os “estranhos” por aqui, somos nós, e não eles. Nós é que somos os instrusos e estamos morando na casa deles. A grande maioria, não conhece e nem nunca ouviu falar no modo como nós gostamos de ir a praia, então esse é o normal para eles. Apesar de ser engraçado, é tudo uma questão de ponto de vista 🙂

A praia, apesar de ser a primeira vez que visitamos, também faz parte do nosso cotidiano chinês! 🙂

Os pijamas e os avós

Logo nos primeiros dias de China, uma que coisa me chamou muita atenção aqui no Tianmian (lugar onde moramos) foi que algumas pessoas saem felizes e contentes de seus apartamentos vestindo: bolsa, sapato e PIJAMA.

O Tianmian é como se fosse um pequeno bairro, com alguns condominios de predios, mercados, padarias, frutarias, restaurantes e muitos outros estabelecimentos. Nós não vemos ninguém de pijama ali na Shennan Middle Road (uma grande avenida que temos aqui em frente), porém, assim que pisamos no pequeno bairro, é possível sim achar alguém indo no mercadinho ali na próxima esquina vestindo um lindo pijama de bichinhos (com a calça e a blusa combinando, sempre). Uma vez, cheguei a ver uma chinesa de bolsa e salto alto, toda chique no pijamão!

Conversei com a Aimme, uma chinesa que trabalha conosco, e ela me disse que acha que algumas pessoas não ligam muito para aparência ou conduta perante outras pessoas – e que claro, não é todo mundo que faz isso. Geralmente são as pessoas um pouco mais velhas.

Fiquei um pouco confusa no começo, pois a minha vizinha sai quase todo dia assim, então não sabia se podia ser uma roupa mesmo né? Um estilo chinês, uma roupa tradicional, sei lá! Mas é que sair de pijama de casa me pareceu tão bizarro, que acho que não quis pensar que eram pijamas. Mas hoje, já acostumei, e acho até bonitinho as senhorinhas de pijama com os seus netinhos na praça que temos aqui no prédio. Aliás, sair de manhã por aqui, pode ter certeza que irá encontrar muitas avós, avôs e muuuitas crianças por aqui!

Essa é outra coisa que me chamou atenção, mas essa eu sei que realmente é uma tradição chinesa: quem cuida das crianças são os avós! Sim! Quem educa, cria e passa o dia todo com os pequenos são os avós, em grande parte os paternos.

Não sei até que ponto isso é bom ou ruim, só sei que todas as famílias chinesas respeitam isso. Não importa o quão longe seja a sua cidade natal (geralmente onde os seus pais estão), se você e seu marido forem ter um filho ou uma filha, os seus pais se mudam para a sua casa. Assim vocês podem continuar a trabalhar, se concentrar em ganhar dinheiro e deixarão os chinesinhos com alguém que confiam. Aliás, por aqui acho que o cargo de babá não tem muita chance no mercado.

Tá explicado o tamanho dessa população minha gente! Assim é fácil ter filhos né! Faz e dá pra mãe cuidar! Até eu quero! Kkkk Além disso, muitas famílias em algumas províncias fazem questão de ter um filho homem, portanto, enquanto não vier, a família continua tentando. E os avós cuidando. E a população crescendo!

Outra coisa, apenas por curiosidade: por uma questão de controle da população, as mães não podem (ou não querem) saber o sexo do bebê. Portanto, quando ver uma mulher grávida, não pergunte se é menino ou menina – pergunte de quanto tempo ela está que fica melhor ;).

Essa questão do controle não é tão simples e depende muito do tamanho da cidade, da população da província, do número de mulheres, e muitos outros fatores. Mas essa questão fica pra um outro post!

Os pijamas e os avós cuidando de seus netinhos diariamente também fazem parte do meu cotidiano chinês!

Abaixo o avô fazendo graça com o seu netinho:

IMG_2003

P.S.1: Desculpe não ter fotos das pessoas de pijama, não tive a oportunidade e nem a cara de pau de tirar ainda! Kkkk

P.S.2: Todas as informações desse blog não podem ser generalizadas. São situações que fazem parte do meu dia-a-dia aqui em Shenzhen. Gosto de dividir isso pois quem vier me visitar, irá ver que isso tudo realmente faz parte do nosso cotidiano ;).

Meiyou bing de pijiu! 没有冰的啤酒 !

Pergunte a um brasileiro qual a primeira palavra que ele aprendeu quando chegou aqui: PIJIU啤酒 (Cerveja). E a segunda? BING DE PIJIU冰的啤酒 (Cerveja GELADA)! (Leia-se: pídjou e bindapidjou, respectivamente).

Porque a segunda seria pedir uma cerveja gelada? Não é meio óbvio?

Não. Bebida gelada por aqui… é raro! Pode estar fazendo 40º em Shenzhen (sim, pois aqui o tempo é muito quente no verão), e se você chegar na casa ou no escritório de alguém morrendo de sede, você vai receber um copinho com água QUENTE, ou no máximo uma água temperatura ambiente.

Como falei no meu primeiro post, tudo por aqui tem um significado, e pra água quente de todos os dias, temos um também! Os chineses acreditam que tomar água gelada, com o corpo quente não faz bem por causa do choque térmico – o que é verdade. Além disso, a água quente facilita a digestão dos alimentos. Para eles, nós temos que tomar água na mesma temperatura do nosso corpo. Inclusive, quando eles estão fazendo esportes, só água quente, ou chá. A professora de tenis do meu namorado só leva chazinho quente para “se refrescar” nos intervalos do jogo…

Muitos restaurantes inclusive, não têm a torneira de água normal (bebível) disponível, apenas quente. Já pedi varias vezes água gelada e algumas vezes recebi um copo com água quente e vários cubos de gelo dentro – o que no final deixa uma água morna.

Torneiras como essas da foto abaixo, a gente encontra em muitos restaurantes por aqui. Dessa torneirinha, só sai água quente pra você poder tomar um cházinho enquanto come.

IMG_1934

Pessoas como eu, que adoram uma água beeem gelada, sofrem um pouco pra se acostumar, mas a gente se adapta.

Algumas semanas atrás, nós tivemos a festa de final de ano da empresa aqui, e o jantar foi em um restaurante super chique aqui em Shenzhen. A bebida, foi vinho pra todo mundo. Geralmente é assim: se um vai beber uma coisa, todo mundo bebe junto! Bom, pra acompanhar o vinho, sempre bom um copinho de água né? E lá fui eu na esperança… Mas me trouxeram um copo de água fervendo (literalmente). Aí eu pedi gentilmente uma água normal, não precisava ser gelada… Mas, MEI YOU 没有 !

Mei you é uma das primeiras palavras que os estrangeiros aprendem por osmose por aqui, e significa: NÃO TEM. Os chineses falam muito mei you, pois essa expressão não serve pra dizer apenas que eles não tem alguma coisa, mas sim, que eles não sabem ou estão com preguiça de saber. Não é por maldade, na verdade, na presença dos lao wai (gringos), muitos chineses ficam nervosos e se perdem, pois não estão acostumados com a presença de estrangeiros, ou não entendem nada do que estamos querendo dizer, então, pra se livrar logo eles dizem: MEI YOU 没有.

O que temos que entender também é que em muitas situações eles pensam diferente. E porque isso? Bom, começando pela própria forma de aprendizado! A comunicação escrita é através de caracteres, e não palavras. É claro que os caracteres têm o seu alfabeto, mas o que faz sentido pra eles, são os símbolos.

E não pensem que os símbolos são apenas alguns pauzinhos. Cada tracinho dos caracteres tem um nome e uma ordem para ser “desenhado”. A forma de pensar do chinês tem uma complexidade muito diferente, acreditem. Muitas vezes, uma mímica que pra nós faz todo sentido do mundo, pra eles não quer dizer nada.

*Aliás, temos que tomar um cuidado especial com gestos e mímicas em outros países, pois sabemos que alguns gestos podem até ser ofensivos.

Mas, com paciência e convivência, nós vamos aperfeiçoando a nossa comunicação. Vamos ficando cada vez mais craques na mímica e aos pouquinhos vamos absorvendo algumas palavras do difícil MANDARIM.

O mei you e a bingde pijiu também fazem parte do nosso cotidiano chinês! 🙂

P.S. 1: O título do post significa: Não tem cerveja gelada!

P.S. 2: Todas as informações contidas nesse blog não podem ser generalizadas. Assim como o sentido de “comida quente” no nordeste não tem o mesmo significado no Sul! Os que já caíram nessa sabem muito bem do que eu estou falando. 😉

Os mercados e as frutas

Se tem uma coisa que me chamou muita atenção assim que cheguei aqui do outro lado do mundo, são os mercados. Desde os menorzinhos até os internacionais – como Carrefour e Wal-Mart. Algumas coisas têm um contraste tão grande com os brasileiros que é impossível não prestar atenção.

Primeiro, a quantidade de óleo que esse povo consome é impressionante. São vendidos galões de 5 litros ou mais, e as pessoas colocam dois ou três no carrinho de compras – enquanto nós ficamos satisfeitos com um de 500ml  que compramos muito raramente.

IMG_0695

Mas você entende o consumo de óleo assim que chega na parte das panelas, ou melhor, das frigideiras. É só escolher! Aqui tem à venda todas as cores, tamanhos e materiais que preferir! Agora, pra achar uma forma de bolo, uma panela de arroz, você não encontra tanta variedade (a panela de arroz deles é a elétrica…). Até porque, na maioria das casas, o fogão tem apenas duas bocas e nenhum forno! Pois é, os olhinhos puxados são adeptos da comidinha rápida feita na frigideira. E forno, grande como os nossos brasileiros, só em restaurantes. Quando você vai nas lojas dar uma olhadinha nessa parte de cozinha, você até encontra fogões com o que parece ser um forno embaixo, mas na verdade, é uma máquina de lavar louça! Vai entender…

Bom, voltando ao foco, outra coisa, é a venda de carnes. Primeiro, não tem um vidro e um açougueiro separando você e o pedaço de frango, carne ou porco. Simplesmente pegue o pedaço e coloque no seu carrinho. Claro que o açougueiro está ali, mas nada impede que você se sirva. Além disso, corte de carne de boi é muito peculiar: feito em quadrados. Mesmo que você saiba falar o mandarim, vai ser difícil você encontrar uma picanha, maminha, cupim… Pois as opções são as seguintes:

IMG_1440

Reconhece alguma? Pois é. Kkk Vai meio na sorte.. De vez em quando tem um pedaço ou outro mais ou menos inteiro.

O consumo da carne de boi por aqui é bem baixo. Salvo algumas raras exceções de chineses, quem compra geralmente são os “lǎo wài 老外” (estrangeiros / gringos) – aí dá pra entender e perdoar os orientais. Mas pra quem gosta de frango e porco, bem vindo ao paraíso!

A última, mas não menos importante, são as frutas. Aliás, o cuidado que os chineses têm com as frutas. Em qualquer mercadinho você vai encontrar todas muito bem embaladinhas, bonitas e bem cuidadas. Apesar de muitas serem bem doces, é muito gostoso comer fruta por aqui. Dá gosto de levar pra casa!

IMG_0012

IMG_0014

IMG_0015

Nas baladas, um prato cheio de frutas, por conta da casa, geralmente é servido na sua mesa assim que você pede suas bebidas. Muita melancia, melão, e fruta do dragão (parecida com um kiwi por dentro, mas é branquinha, uma delícia!). Além disso, eles comem muitas frutas desidratadas, que você encontra pra vender em qualquer lugar.

Os mercados e as deliciosas frutas também fazem parte do meu cotidiano chinês! 🙂

P.S.: Todas as informações desse blog não podem ser generalizadas. Nós moramos em Shenzhen, uma cidade ao sul da China, muito nova (com apenas 30 anos de história) e ao lado de Hong Kong, ou seja, com uma boa influência internacional. Mas nem todas as cidades seguem o mesmo padrão 😉

Navegação de Posts

Episódio China

Cenários, personagens e aventuras de uma temporada no oriente

Xing-Ling

Um pouquinho da nossa vida na China...

Perdido na China

Um pouquinho da nossa vida na China...